O PagBank conquistou quase 2 milhões de novos clientes no terceiro trimestre de 2020, segundo balanço divulgado pelo PagSeguro PagBank. No total, em outubro, a empresa tinha mais de 7 milhões de clientes ativos.

Entre os meses de julho a setembro de 2020, o PagSeguro PagBank registrou R$ 45 bilhões em volume de transações financeiras, maior nível da história da empresa para um trimestre, o que representou um avanço de 53% frente ao mesmo período do ano passado.

O número de adições líquidas de novos comerciantes atingiu a marca de aproximadamente meio milhão, outro recorde alcançando pela companhia, que contava com mais de 6 milhões de comerciantes ativos ao final de setembro.

O salto no número de novos comerciantes, aliado ao aumento substancial das transações financeiras online, que cresceram 121% no terceiro trimestre deste ano, em comparação ao mesmo período de 2019, foram os principais motores de crescimento no período.

Aquisição da Moip

Além disso, o PagSeguro PagBank concluiu a aquisição da Moip (Wirecard Brazil), empresa de soluções de pagamentos online, aumentando a sua exposição às transações financeiras em marketplaces e plataformas de e-commerce.

O resultado tem o impacto, ainda, do auxílio emergencial, que elevou a busca, consumo e uso de produtos financeiros como cartões e pagamentos digitais. Quando excluídos os efeitos do benefício, os volumes das transações financeiras do PagSeguro PagBank teriam crescido 44% ao ano contra 10% ao ano de crescimento da indústria de pagamentos.

Também durante o terceiro trimestre de 2020, o PagSeguro PagBank viu o uso do pagamento na modalidade débito crescer em um ritmo mais acelerado, enquanto as transações de crédito à vista e crédito parcelado crescem bem abaixo. O avanço reflete uma mudança temporária nos padrões de consumo de milhões de brasileiros, que têm priorizado os bens de primeira necessidade, equacionando as finanças mensais e adiado compras parceladas, dado o cenário de maior incerteza.

“Neste período de pandemia, com menor circulação nas ruas, o consumo de itens esporádicos, mais atrelados à modalidade crédito, tiveram diminuição”, avaliam os analistas da empresa.

Imagem: Reprodução

Fonte: Mercado e Consumo